Remédio caseiro para corrimento vaginal amarelado

Remédio caseiro para corrimento vaginal amarelado

O corrimento vaginal amarelado pode ser tratado com remédios caseiros de maneira fácil e rápida. Se você está passando por esse problema, leia este post até o final.

Veja: 17 remédios caseiros para corrimento vaginal

Uma das características mais marcantes do corrimento vaginal amarelado é o odor forte e ruim que transpassa para as roupas íntimas e vestimentas, mesmo após o banho.

Outro sintoma característico é a secreção amarelada e grossa.

É importante saber que o corrimento vaginal amarelado não é normal e pode indicar doenças sexualmente transmissíveis, caso da tricomoníase que tem como principais sintomas ardor ao urinar e dores durante a relação sexual.

Seja este ou outro o motivo do surgimento do corrimento amarelado (gonorreia e clamídia, por exemplo), é imprescindível que você procure o seu ginecologista para que o problema não se agrave e provoque doenças mais severas.

O tratamento médico é feito, nesses casos, com antibióticos.

É válido lembrar que o corrimento, quando não possui cor amarelada e extremamente fétido é comum, especialmente no período pré-menstrual.

Por isso, é importante ficar atenta às secreções eliminadas pelo seu corpo todos os dias.

A secreção amarelada também pode afetar homens e gestantes e deve ser tratada da mesma forma que no caso de mulheres não gestantes.

Veja Também: Corrimento vaginal: quando ele pode indicar um problema

Alguns cuidados

Alguns cuidados são importantes quando você se encontra com corrimento amarelado.

Em primeiro lugar, é essencial o uso de camisinha durante as relações sexuais, para evitar a contaminação do parceiro.

Evite também fazer duchas vaginais, que podem remover as bactérias boas responsáveis por proteger a vagina de infecções.

Outros cuidados simples e importantes são o uso de calcinhas de algodão e de roupas que não sejam muito justas, o uso exclusivo de absorventes externos durante o tratamento, além de evitar o uso de cosméticos como cremes e perfumes na região.

Veja Também: 6 remédios caseiros para combater a vaginose bacteriana e o mau cheiro nas partes íntimas

Como tratar o corrimento vaginal amarelado?

Além do tratamento com antibióticos passado pelo médico, alguns remedinhos caseiros são muito eficazes para tratar corrimento vaginal amarelado.

Apresentamos três deles para você a seguir.

1 – Banho de assento com chá de goiabeira

Uma ótima alternativa para acabar com o corrimento vaginal amarelado e malcheiroso é o chá da folha de goiabeira.

Para preparar este super remédio caseiro, você vai precisar de:

  • 1 litro de água
  • 40g de folha de goiabeira

Modo de Preparo:

Ferva a água. Desligue o fogo e adicione as folhas de goiabeira.

Deixe descansar em recipiente fechado até a água amornar.

Coloque o remédio caseiro em uma bacia e faça o banho de assento por, pelo menos, 5 minutos, logo após a higiene íntima no banho.

Repita o processo três vezes ao dia.

Você também pode acrescentar 1 porção de vassourinha doce para potencializar o tratamento.

Veja Também: 14 remédios caseiros para o mau cheiro na região íntima

2 – Chá de Pau D’arco

Outro remédio caseiro excelente para corrimento amarelado é o chá de pau d’arco.

O pau d’arco possui agentes antifúngicos que ajudam a tratar o problema e complementam o tratamento com antibióticos.

Para este remédio, você vai precisar de:

  • 500ml de água
  • 20g de pau d’arco

Modo de Preparo:

Ferva a água e adicione o pau d’arco.

Deixe em infusão por, no mínimo, 15 minutos.

Beba em seguida.

Recomenda-se o consumo de quatro xícaras por dia.

Veja Também: 5 remédios caseiros para combater os fungos vaginais

3 – Chá de equinácia

O chá de equinácia é mais um remédio natural incrível para que você se livre, de uma vez por todas, do corrimento vaginal amarelado.

A equinácia é uma planta medicinal poderosa no combate a fungos e bactérias, acelerando o tratamento médico tradicional.

Ingredientes:

  • 200ml de água
  • 1 colher de sopa de raiz de equinácia

Modo de Preparo:

Ferva a água e acrescente a raiz de equinácia, deixando descansar por, pelo menos, 10 minutos.

Beba três vezes ao dia.

Veja Também: 7 remédios caseiros para eliminar o odor vaginal

Cuidados com a alimentação

Além do tratamento médico e das soluções caseiras, é muito importante que você modifique sua alimentação, para que o seu sistema imunológico fique mais fortalecido e a flora bacteriana e pH da região vaginal equilibrados.

Alguns alimentos que devem ser consumidos durante um quadro de corrimento vaginal amarelado são o iogurte (rico em lactobacilos vivos), a chicória, o limão, a romã, a couve e o melão.

Veja Também: 5 remédios caseiros para diminuir o fluxo menstrual intenso

Atenção

É muito importante consultar o ginecologista para identificar a causa correta e também iniciar o tratamento com medicamentos, caso necessário.

Por isso, embora estes remédios caseiros possam aliviar os sintomas, não devem substituir o tratamento médico, devendo ser utilizados para diminuir o desconforto e acelerar o tempo de recuperação.

O post Remédio caseiro para corrimento vaginal amarelado apareceu primeiro em Site de Beleza e Moda.

10 Benefícios da Farinha de Batata Doce – Para Que Serve, Como Fazer e Propriedades

Farinha de batata-doce

A batata doce sempre foi um alimento presente nos cardápios fitness, porém a sua popularidade aumentou e ela conquistou espaço em outras dietas também. Esse tubérculo possui um alto valor nutritivo, além de ser um alimento acessível e muito versátil – tanto que uma das variações mais recentes é em forma de farinha, o que facilita ainda mais o uso pelos seus consumidores assíduos.

Para entender melhor como a farinha de batata doce pode agregar para a saúde, abordaremos aqui os seus benefícios, para que serve, além de como fazer e quais são as propriedades nutricionais desse alimento.

Farinha de batata doce

Como o nome sugere, a farinha é feita a partir da batata doce, única e exclusivamente. Partindo desse princípio, entende-se que a sua composição carrega todos os nutrientes dela.

A batata doce é um tubérculo subterrâneo, proveniente das raízes de uma planta conhecida cientificamente como Ipomoea batatas, cultivada largamente aqui no Brasil. Diferente do que muitos pensam, as batatas doces são diferentes das batatas normais, justamente por isso elas são melhores opções para atletas, pessoas que praticam diversos esportes e cuidam da alimentação para potencializar os resultados e também para aqueles que estão trabalhando para perder peso.

O principal motivo para a batata doce ser tão apreciada por esse público é o seu alto valor nutricional, que é capaz de contribuir com a saúde de várias formas, além de ser uma versão sem glúten, ou seja, uma substituta para a farinha de trigo no preparo de várias receitas.

Como fazer?

A farinha de batata doce é feita através do alimento seco, transformado em pó. Isso pode ser feito em um desidratador, mas se você não tiver um, pode fazer no forno. Ela pode ser usada para preparar pães, bolos, tortas, brownies, panquecas, além de sopas e muitos outros acompanhamentos. Além disso, também pode ser misturada com água fervente para preparar um purê que serve de base para diversos pratos e é uma excelente alternativa para adicionar ao “shake” pré ou pós-treino.

As principais vantagens de transformar a batata doce em farinha é ter um produto com validade longa, além do fato dela ser armazenada em um espaço muito menor do que aquele usado para as batatas doces cruas. Se você não quiser fazer a sua própria receita, é possível comprá-la pronta. Muitas lojas de produtos naturais, sites na internet ou locais especializados em produtos para atletas já vendem a farinha de batata doce.

Gostou da ideia? Então confira a seguir como fazer.

Passo a passo:

  • Comece a sua receita descascando a batata doce, mas se você estiver usando uma versão orgânica, apenas lave o tubérculo e preserve a casca para aproveitar os benefícios da mesma também.
  • Corte as unidades em fatias bem finas, e de preferência do mesmo tamanho. Quanto mais finas elas forem, mais fácil será o processo para secar.
  • Espalhe todas as fatias na folha do desidratador, ou improvise utilizando uma base de papel alumínio para desidratar no forno, na temperatura mínima. Certifique-se apenas de que as fatias não estejam sobrepostas, pois assim o processo será ainda mais longo.
  • Quando elas estiverem para secar, seja no desidratador ou forno, vá acompanhando, pois assim que elas estiverem completamente secas, ao ponto de quebrar, estarão prontas. O tempo gasto costuma variar: um desidratador de alta qualidade pode fazer isso dentro de 3-4 horas, enquanto o tempo no forno pode ser mais do que o dobro. Portanto, o segredo é verificar constantemente até que elas estejam no ponto.
  • Depois da secagem completa, basta transferir para um processador de alimentos e moer até obter um pó fino. Passe por uma peneira e transfira para um recipiente com tampa.
  • Aproximadamente 4kg de batata doce podem produzir 1kg de farinha, em média.

Propriedades nutricionais da batata doce seca

A farinha de batata doce é preparada a partir da batata doce seca, que são consideradas pobres em gordura e uma boa fonte de fibras, vitaminas e minerais. Veja detalhadamente sua informação nutricional.

– Calorias

O fato de ser um alimento desidratado torna a batata doce seca uma fonte de calorias mais concentrada do que a versão assada. Uma porção de 90 gramas contém 378 calorias, enquanto a mesma porção de uma batata doce assada com pele contém apenas 90. Diante dessa informação, é preciso ter em mente que o excesso, mesmo que a batata doce seja saudável, leva ao ganho de peso, então gerenciar o tamanho da porção é a melhor forma de controlar sua ingestão de calorias.

– Carboidratos, proteína e gorduras

A maioria das calorias presentes nas batatas doces secas vem dos carboidratos, mas elas também contêm algumas proteínas e gorduras. Uma dose de 90 gramas contém 87 gramas de carboidratos, 6 gramas de proteína e 1 grama de gordura, ou seja, quase nenhuma.

– Fibras

Batatas doces secas também são uma boa fonte de fibras, e elas não são digeridas pelo corpo. A porção de 90 gramas contém 3 gramas de fibras. A recomendação de fibras para adultos é de 21 a 38 gramas por dia, dependendo da idade e do sexo. Isso significa que uma porção nesse peso de farinha de batata doce atende entre 9% e 17% de suas necessidades de fibra de carbono.

– Vitaminas

A farinha de batata doce é rica em várias vitaminas promotoras da saúde, incluindo vitamina A, C e folato. Uma porção contém 82 miligramas de vitamina C e 50 microgramas de folato. Homens adultos precisam de 90 miligramas de vitamina C por dia e mulheres adultas de 75 miligramas, enquanto todos os adultos precisam de 400 microgramas de folato.

A vitamina C é uma vitamina solúvel em água que ajuda a curar feridas, suportar o sistema imunológico, manter pele e cabelo saudável. Como antioxidante, a vitamina C na batata doce também protege as células dos danos dos radicais livres, o que pode ajudar a prevenir uma série de doenças.

O folato é uma vitamina B especialmente importante para mulheres em idade fértil porque a ingestão adequada ajuda a prevenir defeitos do tubo neural em bebês. As batatas doces também são ricas em betacaroteno, que é transformado em vitamina A no organismo. A quantidade diária recomendada de vitamina A pode ser alcançada com apenas 100 gramas de batata doce crua.

– Minerais

Usar a farinha de batata doce para fazer um purê pode ser uma opção para aumentar a ingestão de ferro e potássio. Uma porção contém de 90 gramas contém 2 miligramas de ferro, o que é relevante, considerando que os homens precisam de 8 e as mulheres de 18 miligramas. Ela também carrega 734 miligramas de potássio, ou 16% da ingestão diária recomendada.

Vale lembrar que o ferro faz parte da proteína hemoglobina, que transporta oxigênio para seus órgãos, e a ingestão de potássio pode ajudar a melhorar a pressão arterial, de acordo com a American Heart Association.

Além disso, a batata doce também contém magnésio, um…

4 Benefícios da Vitamina D para o Cabelo

Vitamina D

Você provavelmente já está careca de saber que o nosso organismo exige que consumamos uma série de nutrientes para que ele possa funcionar corretamente.

Entre esses nutrientes, encontram-se as vitaminas, e no grupo das vitaminas, está a vitamina D. Ela pode ser fornecida ao organismo por meio da exposição ao sol e de poucos alimentos como gema de ovo, fígado e peixes de água salgada.

Além disso, algumas empresas fabricam produtos como leite e cereais fortificados com a vitamina D, e o nutriente também pode ser encontrado nos cogumelos e em grãos.

A vitamina D é conhecida por ajudar a construir ossos fortes por meio do aumento da absorção de cálcio e fósforo por parte do organismo. O nutriente também atua no sistema nervoso, no sistema muscular e no sistema imunológico.

O National Institutes of Health’s Office of Dietary Supplements (Agência de Suplementos Alimentares dos Institutos Nacionais de Saúde, tradução livre) recomenda que as pessoas adultas consumam 600 unidades internacionais ou 15 microgramas de vitamina D diariamente.

A vitamina D para o cabelo

Mas será que além de trabalhar nessas regiões do nosso organismo, também é possível afirmar que existem benefícios da vitamina D para o cabelo? É justamente isso o que vamos destrinchar a seguir.

1. Auxílio à criação ou ao acordar dos folículos capilares

Nos últimos anos, a vitamina D foi associada ao crescimento dos cabelos. Segundo nossas pesquisas, a vitamina D pode contribuir com a criação de novos folículos – pequenos poros onde novos cabelos podem crescer. Isso pode melhorar a espessura ou diminuir a quantidade de perda de cabelo.

Ao lado de outras substâncias químicas descobertas recentemente, a vitamina D também pode auxiliar a acordar os folículos que tenham se tornado dormentes.

A calvície acontece quando os folículos estão constantemente dormentes. Entretanto, alertamos que mesmo com os folículos despertados nem sempre ocorre a produção de cabelo. Além disso, existem poucas evidências de que o nutriente possa trazer o retorno dos cabelos.

2. Prevenção da queda de cabelo

Não há quem diga que prevenir é o melhor remédio? Pois bem, se as evidências que apontam que a vitamina D pode fazer os cabelos voltarem a crescer são poucas, o nutriente pode ter o seu papel importante na prevenção da queda dos cabelos, tendo em vista que a sua deficiência pode estar associada ao problema.

É comumente encontrada em pacientes com deficiência de vitamina D, com raquitismo resistente à vitamina D ou com mutação ao receptor da vitamina D.

Um estudo que envolveu 86 pacientes com alopecia areata, além de pessoas com vitiligo e indivíduos saudáveis, indicou que níveis de vitamina D dos participantes com alopecia areata eram significativamente mais baixos do que os daqueles saudáveis ou com vitiligo.

Também afirmou-se que a deficiência de vitamina D foi associada à alopecia e foram mencionadas pesquisas em que mulheres com idade entre 18 anos a 45 anos de idade que sofrerem com alopecia ou outras variedades de perda de cabelo apresentavam níveis reduzidos de vitamina D.

É com base nisso que se conclui que certificar-se de fornecer doses adequadas de vitamina D ao organismo pode ser uma das formas de prevenir a queda de cabelo. Mas veja que ela não é a única, porque a perda de cabelo também pode ser provocada por diversas outras causas. Dito isso, é possível que uma pessoa tenha queda de cabelo ainda que possua níveis adequados de vitamina D no organismo.

Portanto, se você já sofre com queda de cabelo ou com problema de crescimento capilar, deve procurar o auxílio de um dermatologista para que ele examine e diagnostique o seu problema e, assim, possa prescrever o tratamento adequado para o seu quadro.

3. Evitar que o crescimento dos cabelos seja atrofiado

No mesmo sentido, um dos papéis da vitamina D para o cabelo é estimular os novos e os antigos folículos capilares. Quando não há vitamina D suficiente no corpo, o crescimento de novos cabelos pode ficar atrofiado.

No entanto, ressalta-se que o real papel da vitamina D em relação ao crescimento dos cabelos não é conhecido e que ainda que se acredite que o nutriente possa ter uma papel na produção da cabelos, a maioria das pesquisas está focada nos receptores de vitamina D.

4. Eflúvio telógeno

Na condição conhecida como eflúvio telógeno, também pode ocorrer a queda de cabelo. A deficiência de vitamina D é vista como uma das possíveis causas para a condição.

Uma pesquisa divulgada examinou a relação entre níveis séricos de vitamina D e de uma proteína chamada ferritina (encontrada nas células, que permite que elas armazenem ferro) e o eflúvio telógeno e o padrão de queda de cabelo em 80 mulheres.

O estudo concluiu que níveis baixos de vitamina D e de ferritina estavam associados com os dois tipos de perda de cabelo.

Entretanto,  a queda de cabelo é um fenômeno não completamente entendido pela ciência e enquanto níveis reduzidos de vitamina D foram associados com algumas variedades de perda de cabelo em pesquisas clínicas, isso não estabelece um relacionamento direto de efeito e causa.

Cuidados com os suplementos de vitamina D

Antes de começar a utilizar qualquer suplemento de vitamina D para o cabelo ou para qualquer outra finalidade, é fundamental que você consulte o médico para se certificar de que a utilização do produto realmente é necessária para o seu caso, conferir se ele não é contraindicado para você e saber qual a dosagem apropriada e segura para a saúde do seu organismo.

Isso porque, como uma vitamina solúvel em gordura, a vitamina D pode acumular no tecido adiposo em níveis perigosos, caso seja ingerida em excesso.

Consumir muita vitamina D pode resultar um muito cálcio no sangue, o que, por sua vez, provoca fadiga ou problemas renais. Informamos que a ingestão de vitamina D em excesso também pode provocar efeitos colaterais como náusea, vômito, prisão de vente, fraqueza, ritmos cardíacos anormais e confusão mental.

Você já conhecia os benefícios da vitamina D para o cabelo? Já experimentou tomar suplementos dessa vitamina com esse intuito? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

12 Benefícios da Artemísia – O Que é e Para Que Serve

Chá de artemísia

A artemísia é uma planta que pode ser usada na culinária e na medicina devido aos seus efeitos benéficos para a saúde e sabor característico. Historicamente usada por mulheres para inibir os ciclos menstruais e aliviar sintomas da menopausa, a artemísia também já foi muito usada por parteiras para facilitar o nascimento do bebê e evitar dores durante o parto.

Mas os benefícios da artemísia vão além. A presença de antioxidantes e diversos nutrientes na planta ajudam a tratar problemas digestivos e intestinais como náusea, vômito, constipação e úlceras.

Ficou curioso? Quer conhecer e aprender mais sobre todos os benefícios da artemísia e seus diferentes usos? Então você está no lugar certo.

Artemísia – O que é?

A Artemísia é uma planta que pode ser chamada também de gengibre verde, camomila do campo, flor-de-são-joão, rainha das ervas, erva de fogo ou absinto selvagem. Ela às vezes é confundida com a erva de São João devido ao nome parecido ou a erva de crisântemo devido à semelhança, mas tratam-se de espécies diferentes.

A planta apresenta em sua composição antioxidantes como flavonoides, cumarinas, triterpenos e substâncias como cânfora, tujona, linanol, betasitosterol e betacaroteno. Também é repleta de vitaminas e minerais como a vitamina A, a vitamina K, a vitamina E, algumas vitaminas do complexo B, o potássio, o cálcio e o ferro.

As propriedades da Artemísia são muito amplas, até porque existem muitas variedades da planta principalmente em países da Ásia, da Europa e da América do Norte. Há mais de 380 espécies diferentes de Artemísia e cada uma tem características e benefícios específicos. Os tipos mais comuns para fins medicinais incluem as seguintes espécies:

  1. Artemisia vulgaris: a artemisia vulgaris é a espécie mais comum no Brasil e comumente chamada apenas de artemísia. E é sobre as propriedades dessa espécie que vamos tratar nesse artigo. Ela é muito usada para tratar problemas como anemia, dor de estômago, ausência de apetite, ciclo menstrual irregular, gastrite, nevralgia, nervosismo e mau hálito.
  2. Artemisia dracunculus: essa espécie de artemísia é usada para tratar cólicas menstruais, reumatismo, má digestão, insônia, hiperatividade e náuseas.
  3. Artemisia absintum: essa espécie é útil para combater micro-organismos como vermes e parasitas presentes no organismo. Ela também auxilia no tratamento de azia, febre, má digestão, falta de apetite, além de atuar como repelente de insetos e como um substituto ao uso de sal.
  4. Artemisia pontica: a artemisia pontica tem efeitos muito parecidos com os da artemisia absintum e também pode ser usada para combater dores devido as suas propriedades analgésicas e como aromatizante natural de bebidas alcoólicas.
  5. Artemisia lactiflora: a artemisia lactiflora é muito usada na culinária chinesa para dar sabor aos alimentos.
  6. Artemisia annua: tal espécie é útil no combate de doenças como a malária. Além disso, ela apresenta propriedades antissépticas e antiparasitárias que ajudam o sistema imunológico a combater condições de saúde como febre, resfriado e gripes além de facilitar a digestão e ser útil no tratamento de alguns tipos de câncer de mama, de próstata e a leucemia.
  7. Artemísia ludoviciana: essa espécie da planta se destaca pelas suas propriedades antissépticas e antipiréticas que ajudam no combate de doenças que causam inflamação na pele e gripes, por exemplo.

O nome Artemísia foi dado devido à antiga deusa grega Artemis, conhecida como a deusa da virgindade, dos animais, da caça e do parto. Trata-se de um arbusto da mesma família do girassol e da margarida. A planta de hastes roxas que podem alcançar até 5 metros de altura apresenta folhas verde-escuras e pelos brancos emaranhados. Já as flores são pequenas e apresentam uma cor marrom avermelhada, ou amarela com alguns tons de verde.

Praticamente todas as partes da planta são usadas para fins medicinais. No entanto, o mais comum é extrair seus nutrientes das folhas. Assim, as folhas e as flores são colhidas um pouco antes da maturidade e secas para uso medicinal.

Para que serve

A artemísia parece apresentar propriedades bactericidas, antifúngicas, antiasmáticas e expectorantes muito úteis para aliviar problemas respiratórios e infecções. Alguns dos usos da praticados através da medicina tradicional durante muitos anos incluem:

  • Tratamento de problemas estomacais e intestinais incluindo constipação, dores, espasmos e outros desconfortos;
  • Alívio de cãibras;
  • Melhoria da digestão;
  • Estímulo à circulação sanguínea;
  • Tratamento de condições inflamatórias na pele e aliviar coceiras e desconfortos causados por cicatrizes de queimaduras, por exemplo;
  • Alívio de dores e sintomas relacionados à menstruação e à menopausa;
  • Tratamento de insônia e melhoria de sintomas de ansiedade e depressão;
  • Perda de peso
  • Redução de sintomas de ansiedade e depressão;
  • Combate de infecções que afetam o trato urinário;
  • Tratamento de inflamações e condições respiratórias;
  • Problemas renais;
  • Fortalecimento do sistema imunológico e desintoxicar o organismo;
  • Regulação dos níveis de açúcar no sangue.

Há ainda estudos em desenvolvimento que sugerem o uso da planta para tratar dores articulares e alguns tipos de câncer.

Apesar de todos esses usos, nem todos eles são atestados cientificamente. Vamos descobrir então, de fato, quais são os reais benefícios da artemísia para a saúde?

Benefícios da Artemísia

1. Tratamento de ansiedade e depressão

O chá de artemísia é conhecido por ajudar a aliviar sintomas de ansiedade, depressão e estresse crônico. Isso porque a erva é capaz de aliviar o estresse no sistema nervoso e metabólico e melhorar a qualidade de vida das pessoas que sofrem com esses transtornos.

2. Melhoria da digestão

O chá de artemísia é usado há muito tempo para aliviar a indigestão e melhorar dores e desconfortos estomacais. A erva ajuda a estimular o apetite, reduzir o inchaço associado à retenção de gases, aliviar cólicas e problemas como prisão de ventre e diarreia.

Isso acontece porque alguns compostos ativos presentes na planta podem estimular a produção de bile, substância que ajuda a digerir os macronutrientes como a gordura obtidos através da dieta e a absorver os nutrientes, o que pode acelerar e facilitar a digestão.

3. Alívio de cólicas menstruais e estímulo à menstruação

O chá de artemísia é usado desde muitos anos atrás para tratar a dismenorreia, conhecida popularmente como cólica menstrual. Além disso, há benefícios da artemísia para o estímulo e regulação do período menstrual. Ela ainda ajuda o corpo a passar mais facilmente pelas alterações que geram sintomas desagradáveis durante a menopausa.

Isso ocorre porque a artemísia aumenta o fluxo menstrual, permitindo uma circulação de sangue saudável na região pélvica e nos músculos uterinos, o que faz com que os…

11 Benefícios do Chá de Equinacea – Para Que Serve e Como Fazer

Chá de equinacea

O chá de Equinacea é um dos chás mais saudáveis e versáteis para a prevenção e tratamento de diversas doenças. Conhecido por seus efeitos no combate de gripes e resfriados, o consumo frequente do chá pode ajudar a tratar alergias e infecções ou inflamações que atingem as articulações e o sistema respiratório, por exemplo.

Essa bebida é usada há mais de 500 anos por nativos da América do Norte por causa dos seus efeitos medicinais. Os índios nativos americanos utilizavam a planta para tratar ferimentos de picadas de insetos, cólicas e infecções.

Vamos falar sobre todos os benefícios de incluir o chá de Equinacea na dieta, além de ensinar como fazer a bebida e seus possíveis efeitos colaterais.

Equinacea – O que é?

A Equinacea ou Echinacea é um gênero de plantas usadas na medicina tradicional há muitos anos. Existem diversas espécies incluídas nesta família, sendo que as mais comumente usadas para fins medicinais são a Echinacea Angustifolia, a Echinacea Purpurea ou a Echinacea Pallida. Tais espécies são ricas em nutrientes como vitaminas e minerais, além de antioxidantes, flavonoides e polissacarídeos.

Em geral, são plantas com raízes e folhas nutritivas que são aproveitadas na medicina tradicional. Além da América do Norte, essas plantas são muito comuns na Europa.

Os benefícios do chá de equinacea para a saúde se devem à composição da erva, que inclui nutrientes como polissacarídeos, flavonoides, polifenóis, alquilamidas, vitamina C, zinco e selênio.

Para que serve

A Equinacea apresenta propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, antimicrobianas e antivirais que ajudam a deixar o sistema imunológico mais forte. Assim, ela ajuda a proteger o corpo de doenças, além de lutar contra infecções causadas por bactérias, fungos ou vírus.

O uso mais tradicional do chá de Equinacea é para o tratamento de gripes, resfriados e outras condições de saúde que envolvem o sistema respiratório. Além disso, a Equinacea é um ótimo remédio para acelerar processos de cicatrização, limpar a pele, prevenir o envelhecimento precoce, fornecer mais energia e desintoxicar o organismo.

Para entender melhor como a planta pode contribuir para o nosso bem-estar e nossa saúde, veja os benefícios de consumir o chá de equinacea nos itens a seguir.

Benefícios do Chá de Equinacea

1. Tratamento de infecções

Essa erva apresenta uma mistura de substâncias que contêm propriedades antimicrobianas e que beneficiam o sistema imune. Os fenóis são os compostos mais importantes na equinacea para o tratamento de infecções. Isso porque eles controlam a atividade de várias enzimas e receptores celulares e porque são compostos antioxidantes.

Esses efeitos, atuando em conjunto, ajudam a proteger o corpo contra infecções, além de evitar danos causados por radicais livres devido à exposição à poluição ou à radiação solar ultravioleta sem proteção adequada, por exemplo.

O chá de equinacea também parece acelerar o processo de cura de doenças e lesões no corpo. A presença de antioxidantes e vitaminas ajuda a estimular o crescimento de células novas, a eliminar agentes patógenos e a prevenir o estresse oxidativo.

Estudos sugerem que a equinacea, principalmente a Purpurea, é bastante eficaz para tratar infecções no trato urinário e no sistema respiratório.  Outras pesquisas também indicam benefícios do chá de equinacea para o tratamento de infecções fúngicas vaginais e o alívio da herpes viral.

2. Proteção contra gripe e resfriados

De acordo com a University of Maryland Medical Center, o chá de Equinácea pode ajudar a aliviar os sintomas de resfriados, mas os efeitos podem variar dependendo de como o chá foi preparado.

Em geral, o chá ajuda a reduzir a duração dos sintomas. Estudo da University of Maryland Medical Center indica que o uso de equinacea ajudou a reduzir o risco de desenvolver um resfriado em 58% em comparação com aqueles que não usaram a planta, além de diminuir a duração dos sintomas. Além disso, outra pesquisa mostra que tomar chá de equinacea regularmente pode potencializar os efeitos da vacina contra a gripe, que é usada para prevenir a contração da doença.

Ou seja, além de prevenir a contração de resfriados e gripes, o chá de equinacea parece ser eficiente para aliviar os sintomas rapidamente.

3. Controle do índice glicêmico

Um estudo publicado em 2017 no Journal of Medicinal Food mostrou que a presença de equinacea na corrente sanguínea pode ajudar a evitar picos de açúcar no sangue, além de evitar a queda desses níveis em pessoas que sofrem de hipoglicemia. Assim, um dos benefícios do chá de equinacea é ajudar a controlar os níveis de açúcar sanguíneo.

No entanto, não substitua o tratamento sugerido pelo médico pelo consumo do chá sem orientação de um profissional da saúde.

4. Efeito antioxidante e prevenção ao câncer

O teor de antioxidantes encontrado na equinacea ajuda a reparar células danificadas pelo estresse oxidativo e a estimular o crescimento saudável de novas células.

Os flavonoides, principal classe de compostos antioxidantes na equinacea, ajudam a reduzir os danos causados pela presença de radicais livres no organismo. Esses radicais livres são moléculas instáveis que podem desencadear várias doenças crônicas e até alguns tipos de câncer devido ao dano celular que podem causar nas células saudáveis.

Um estudo publicado em 2016 no periódico científico Saudi Pharmaceutical Journal mostra que extratos de Equinacea ajudam a retardar o crescimento de células tumorais de câncer de mama, evitando que a doença se espalhe pelo organismo. No entanto, mais pesquisas precisam ser realizadas para atestar a real eficácia da planta no tratamento da doença.

Além de pode ajudar a prevenir e tratar alguns tipos de câncer, os antioxidantes ajudam a manter a pele saudável e evitam o surgimento de sinais de envelhecimento precoce.

5. Redução dos sintomas de ansiedade

Em um estudo publicado no Phythoterapy Research em 2012, um extrato de equinacea foi usado como um suplemento antiansiedade. Foi verificado que o extrato foi capaz de ajudar na regulação das sinapses, região próxima dos neurônios que são responsáveis por ajudar o corpo a se comunicar com o cérebro.

Assim, há benefícios do chá de equinacea para pessoas ansiosas. A erva ajuda a se sentirem mais calmas e apresentarem menos sintomas relacionados a crises de ansiedade.

6. Diminuição da pressão arterial

Uma pesquisa publicada no fim de 2013 na revista científica BMC Complementary and Alternative Medicine dá indícios de que o suplemento de equinacea pode ajudar a reduzir a pressão arterial. A pesquisa ainda está em andamento, mas os cientistas acreditam que os compostos anti-inflamatórios e antioxidantes encontrados na Equinacea são os responsáveis pela redução da pressão arterial sanguínea.

Além disso, a ansiedade pode…

10 Benefícios do Feijão Azuki – Para Que Serve e Propriedades

Feijão azuki

O feijão carioquinha e o feijão preto são sem dúvida os tipos de mais consumidos na alimentação dos brasileiros, mas depois de conhecer melhor o azuki, você desejará incluir essa versão na sua dieta.

O feijão azuki contém muitas proteínas, o que é bom para atletas, veganos e vegetarianos, e também muitas fibras por porção, sem contar a quantidade de vitaminas e minerais, que são superiores a muitos outros tipos. Além disso, o feijão azuki é uma excelente escolha para as pessoas que sofrem com anemia ou baixa energia, uma vez que seu teor de ferro é elevado.

Ficou interessado em conhecer melhor esse alimento? Abordaremos aqui os benefícios do feijão azuki para a saúde, além de entender para que serve e também as suas propriedades nutricionais.

O que é feijão azuki?

O feijão azuki, cientificamente chamado de Vigna angularis, é nativo da China e foi cultivado no Japão por pelo menos 1000 anos. Hoje, ele já está presente em vários outros países e é um ingrediente comum em várias receitas doces e salgadas.

O nome vem do idioma japonês, e os seus grãos são secos, pequenos, ovais e vermelhos vibrantes; porém, variações brancas, marrons, pretas e mescladas também podem ser encontradas em alguns lugares.

Ao contrário de outras variedades de feijão seco, o azuki leva muito menos tempo para cozinhar, por causa de seu tamanho e quantidade considerável de proteína e carboidratos presentes, e também provoca menos gases, se comparado aos outros tipos de feijão. Isso sem contar que sua digestão é muito mais fácil, e suas propriedades nutricionais que são capazes de promover os benefícios do feijão azuki tão relevantes para a saúde e boa forma.

Estes grãos são usados principalmente para preparar receitas adocicadas em nações asiáticas, como por exemplo, o natto no Japão. Geralmente ele é cozido e adoçado e transformado em uma pasta para preparar sobremesas, sushi, doces, bolos, biscoitos, pão e até algumas receitas salgadas.

Propriedades nutricionais do feijão azuki

O feijão azuki é altamente nutritivo, e apenas uma xícara de feijão cozido, contém:

  • 294 calorias;
  • 57 gramas de carboidratos;
  • 17,3 gramas de proteína;
  • 0,2 gramas de gordura;
  • 16,8 gramas de fibra;
  • 278 microgramas de folato (70% das necessidades diárias);
  • 1,3 miligramas de manganês (66% das necessidades diárias);
  • 386 miligramas de fósforo (39% das necessidades diárias);
  • 1,224 miligramas de potássio (35% das necessidades diárias);
  • 0,7 miligramas de cobre (34% das necessidades diárias);
  • 120 miligramas de magnésio (30% das necessidades diárias);
  • 4,1 miligramas de zinco (27% das necessidades diárias);
  • 4,6 miligramas de ferro (26% das necessidades diárias);
  • 0,3 miligramas de tiamina (18% das necessidades diárias);
  • 0,2 miligramas de vitamina B6 (11% das necessidades diárias);
  • 0,1 mg de riboflavina (9% das necessidades diárias);
  • 1,6 miligramas de niacina (8% das necessidades diárias);
  • 64,4 miligramas de cálcio (6% das necessidades diárias).

Para que serve?

Como vimos, o feijão azuki é utilizado na culinária de vários países para preparar pratos doces e salgados, mas o fato é que consumir esse alimento vai proporcionar ao organismo uma verdadeira “injeção” de nutrientes, e esses consequentemente beneficiarão a saúde de várias formas.

Um dos destaques desse alimento são suas fibras, e elas podem impulsionar a digestão, aliviar a prisão de ventre, diarreia e promover a saciedade, o que ajuda inclusive as pessoas que estão em dietas para perder peso.

Uma dieta equilibrada contendo feijão azuki também é importante para ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue, pois esse alimento contém um baixo índice glicêmico. Também é rico em antioxidantes e proteínas de qualidade, que ajudam a construir massa muscular e minerais que formam ossos mais fortes, um coração mais saudável e estimulam a desintoxicação do fígado.

O feijão azuki é um alimento impressionante, então, para que você entenda melhor para que serve, nós relacionamos logo abaixo os seus principais benefícios.

Benefícios do feijão azuki

1. Ajudar a gerenciar a diabetes

Os portadores de diabetes precisam controlar rigorosamente o consumo de alguns alimentos. O feijão azuki pode ser uma contribuição valiosa para essas pessoas, pois o seu alto teor de proteínas e fibras ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue em uma faixa normal.

Algumas pesquisas já foram feitas para evidenciar esse benefício e uma delas, realizada em animais, mostrou que as proteínas encontradas nos feijões azuki são capazes de inibir algumas enzimas intestinais, que estão envolvidas na quebra de carboidratos complexos como amido e glicogênio.

Em uma linguagem mais simples, os feijões azuki atuam como inibidores da alfa-glicosidase que são usados para controlar a diabetes. Isso faz dele um ótimo complemento para qualquer plano alimentar para ajudar a tratar, controlar e até prevenir a diabetes.

2. Aumenta o consumo de antioxidantes

Alimentos ricos em antioxidantes podem promover inúmeros benefícios para a saúde e o feijão azuki faz parte desse grupo.

Pesquisadores identificaram pelo menos 29 compostos diferentes no feijão azuki, e por esse motivo ele foi classificado como um alimento com alto teor de antioxidantes. Na sua composição, estão presentes bioflavonoides que são valorizados pela sua ação antioxidante e anti-inflamatória, que ajudam a prevenir e gerenciar diversos problemas relacionados à saúde.

3. Melhora a massa muscular

A massa muscular precisa muito de proteínas, pois os músculos são compostos principalmente por elas. Sem a quantidade e qualidade adequada, ocorre uma perda muscular e se você investe em um treino pesado para construir músculos, as suas necessidades de proteína são ainda maiores.

Consumir alimentos proteicos como o feijão azuki pode contribuir muito com esse processo. Apenas uma xícara contém 17,3 gramas de proteína, e quando combinando a uma rotina de exercícios regulares pode promover um corpo mais forte. Além disso, ajudam a combater a flacidez e como seu corpo leva mais tempo e energia para digerir proteínas, além de ter um baixo índice glicêmico, pode promover muito mais saciedade, permitindo que você se sinta mais cheio, leve e energizado por mais tempo.

4. Promove ossos mais fortes

O passar dos anos não costuma ser generoso, pois além de outras funções perderem a sua plenitude, os ossos tendem a perder sua força, poder de reparo ou cura. Essa condição resulta em osteoporose e redução da massa muscular, especialmente em mulheres que estão na menopausa.

Feijão azuki contêm ingredientes bioativos como saponinas e catequinas, que promovem o equilíbrio da formação e  reabsorção óssea em pessoas com osteoporose, protegendo-os da inflamação e da degeneração total.

5. Impulsiona a saúde do coração

A sua composição rica em fibras dietéticas, folato, potássio,…

12 dicas para proteger o pet dos barulhos de fogos de artifício

Como proteger o pet dos barulhos de fogos de artifício

Os fogos de artifício, de festas e comemorações, podem deixar seu pet em pânico. Veja como proteger o pet dos barulhos de fogos de artifício.

Veja Também: Doença do carrapato: sintomas, tratamento e prevenção

Na época das festividades de final de ano, feriados, ou anúncio das campeãs do carnaval e eleição, você fica se perguntando como proteger seu pet dos barulhos de fogos de artifício?

Com ouvidos muito mais sensíveis que o ser humano, os cães, ficam extremamente assustados e incomodados com esse ‘bombardeio’ festivo e como bem sabemos não adianta reclamar porque sempre tem um vizinho para comemorar dessa forma.

A solução então é aplicar no seu dia a dia algumas estratégias que ajudem a minimizar o sofrimento dos seus amigos de quatro patas.

A seguir listamos 12 dicas que servem tanto para reduzir o impacto do som como para evitar que os pets se machuquem nesses minutos que parecem intermináveis.

Veja Também: 12 alimentos que são tóxicos para cães e gatos

Veja como proteger o pet dos barulhos de fogos de artifício

dicas para proteger o pet dos barulhos de fogos de artifício

1 – Fique tranquilo

A melhor forma de proteger o pet dos barulhos dos fogos de artifício é demonstrar que se está calmo.

Cães se baseiam na ‘leitura’ postural dos seus donos para interpretar situações de perigo.

Sendo assim se você demonstrar que está nervoso pela situação isso só fará com que o animal fique mais desesperado.

A sua vantagem nessa situação é já estar esperando o que vai acontecer, fique absolutamente calmo e transmita essa postura para o seu pet.

Veja Também: 4 razões para você castrar seu pet

2 – Não deixe o pet sozinho

A pior coisa que alguém pode fazer ao seu pet é deixá-lo sozinho durante os períodos em que há fogos de artifício.

Se você costuma passar o natal, ano novo ou outra festividade com fogos fora de casa verifique a possibilidade de levar o seu pet.

Caso isso não seja possível você pode contratar um cuidador ou mesmo deixá-lo num hotel junto a outros animais.

Estar assustado e sozinho é uma das piores coisas que podem acontecer a um pet.

Veja: 15 sinais que avisam quando seu cachorro está doente

3 – Tenha um cantinho do sossego

Imagine que você é um cãozinho que de repente começa a ouvir sons muito altos e ameaçadores, o primeiro instinto é sair correndo, não é mesmo? Nessas situações muitos pets acabam se machucando por ficarem desorientados e correndo sem direção esbarrando em móveis e objetos de decoração.

Uma boa estratégia para enfrentar os longos minutos de fogos é preparar um cantinho especial dentro de casa para que o pet possa se esconder.

Dê preferência para um espaço pequeno em que haja uma caminha, comida e água.

Se tiver porta melhor ainda, pois assim é mais fácil evitar que ele perca o controle e corra sem orientação.

Veja Também: Como escovar os dentes do gato

4 – Verifique portões e janelas

O efeito dos fogos de artifício nos pets é tão devastador em termos de criação de pânico que eles podem acabar se machucando com gravidade pulando de janelas ou fugindo pelo portão.

Desespero é a palavra que define como os pets se sentem em situações extremas como essa então antes dos fogos começarem verifique se as janelas estão fechadas (você pode colocar telas de proteção em apartamentos) e os portões trancados.

Veja Também: Como tosar o cachorro em casa

5 – Acostume o pet a diferentes tipos de ruídos

Os fogos de artifício são extremamente assustadores para cães pelo fato da audição deles ser mais sensível que a dos seres humanos.

Uma forma de tornar períodos festivos – em que os fogos de artifício são inevitáveis – menos sofridos para os pets é prepara-los para os ruídos.

Você pode criar uma ‘playlist’ de barulhos que seu cão não está acostumado a ouvir ou mesmo um CD com essa compilação para deixar de som ambiente.

Assim os ouvidos dele ficarão menos sensíveis aos fogos e ele não terá tanto medo quando o barulho começar.

Veja Também: Corrimento no nariz do cachorro, o que pode ser?

6 – Feche as janelas e as cortinas

Essa é uma boa dica para ajudar a abafar tanto os barulhos quanto as luzes emitidas pelos fogos de artifício que podem fazer com que o animal fique nervoso.

Os estímulos visuais também tem sua parcela no pânico que se instala no pet.

Veja Também: Cães podem sentir sinais de gravidez humana

7 – Algodão no ouvido

Como já citamos os cães ouvem os fogos muito mais alto do que os seres humanos e esse é um dos motivos para tamanho desconforto.

Uma forma de amenizar essa situação é colocar um pouco de algodão em suas orelhas para abafar o som.

Contudo, fique atento para o fato de que não se deve empurrar o algodão para dentro do ouvido do animal e nem fazer bolas muito pequenas.

Pense na orelha do cão como o ouvido humano, só podemos usar tapadores por fora.

Veja Também: Sangue nas fezes do cachorro, o que pode ser?

8 – Solte a coleira do cão

A primeira reação dos cães quando os fogos começam é correr, nesse momento ele não consegue pensar em mais nada, dessa forma se estiver com a coleira presa em algum lugar pode acabar se enforcando.

Mesmo que você esteja com o seu amigo de quatro patas tenha esse cuidado, pois quando o momento drástico começar será difícil conseguir segurá-lo e soltar a coleira.

Veja Também: Como limpar as orelhas do cachorro

9 – Crie outros ruídos para abafar os fogos

Uma maneira de proteger o pet dos barulhos de fogos de artifício é abafar os sons externos ligando a televisão, o aspirador de pó ou até o ventilador.

Se a sua vizinhança não é das mais barulhentas pode ser que um desses sons domésticos – e já conhecidos do cãozinho – abafe a confusão que está acontecendo do lado de fora da janela.

Veja Também: 9 dicas para viajar em segurança com o pet

10 – Mantenha-se por perto

Visando proteger seu pet do medo que os fogos de artifício podem gerar é essencial ficar próximo a ele.

Se ele deixar pegue-o no colo e faça carinho, porém, se ele estiver muito agitado apenas fique no seu campo de visão demonstrando que está calmo e que tudo dará certo.

Veja Também: 6 receitas caseiras para tirar o cheiro de cachorro da casa

11 – Separe os pets

Para quem tem mais de um pet em casa, seja outro cão, um gato ou outro animal a dica expressa é separá-los durante a queima de fogos.

Os animais ficam nervosos com o barulho e podem acabar brigando entre si tendo resultados bastante drásticos como machucados ou até mesmo a morte de um deles.

Veja Também: 5 alimentos que podem envenenar e até mesmo matar o seu gato

12 – Calmante

Seu pet fica nervoso mesmo com todas as dicas listadas? Nesse caso pode ser interessante buscar a indicação de um calmante canino através de consulta veterinária.

Jamais administre qualquer tipo de medicação por conta própria ao seu pet, leve-o para uma consulta com um veterinário para que o profissional possa indicar algo que não tenha nenhuma…

11 Benefícios do Kamut – O Que é, Propriedades e Receitas

Kamut

Você já ouviu falar em Kamut? Também conhecido como trigo Khorasan, o Kamut é um tipo de grão de trigo que pode ser muito benéfico para a sua alimentação e saúde em geral.

Esse alimento apresenta um sabor similar ao de nozes e seu perfil nutricional oferece os mais diversos micronutrientes e minerais, além de grandes quantidades de macronutrientes como proteínas e fibras.

Vamos conferir os principais benefícios do Kamut e conhecer suas propriedades interessantes para a saúde, além de sugestões de receitas para que você possa testar e experimentar em casa.

Kamut – O que é?

Kamut é o nome comercial dado ao trigo Khorasan. Nada mais é que um trigo cultivado organicamente e protegido de qualquer tipo de modificação genética ou hibridização.

Essa espécie de trigo é excelente pois produz trigo de alta qualidade sem a necessidade da adição de fertilizantes artificiais ou pesticidas. O Kamut é extremamente tolerante a diversas condições da terra e pragas, sendo possível o cultivo orgânico com alto rendimento sem perder a qualidade. Além disso, ele apresenta grãos com o dobro de tamanho do trigo comum.

Devido ao cultivo estritamente orgânico, diferente dos trigos comuns, que são submetidos a várias técnicas modernas de cultivo e de modificação, o trigo Kamut apresenta mais proteínas, aminoácidos, lipídios, vitaminas e minerais do que o trigo comumente encontrado nas prateleiras dos supermercados.

História do Kamut

A origem desse trigo é duvidosa, já que por ser muito antigo, é difícil saber quando e onde exatamente ele surgiu. Cientistas de vários países acreditam que esse grão pode ser primo do trigo duro, já que ambas espécies pertencem à família da planta Triticum turgidum.

O trigo Khorasan parece ter sua origem na Mesopotâmia e existem várias histórias de que era consumido por egípcios na antiguidade. Porém, não existem evidências reais de que isso realmente ocorreu. Os agricultores da Turquia chamavam esse trigo de “dente de camelo” ou “trigo do profeta”, já que havia uma lenda de que Noé havia trazido esse grão com ele em sua arca.

Independentemente de sua real origem, Kamut é o nome da marca responsável por voltar a cultivar esse trigo, mantendo as características e qualidade da época em que foi descoberto.

Propriedades

Esse trigo tem propriedades nutritivas e antioxidantes excelentes que ajudam a proteger o corpo de diversas doenças, além de fortalecer o sistema imunológico, favorecer vários processos metabólicos e proteger as células de danos causados pelo estresse oxidativo e pela presença de radicais livres no organismo. Mais abaixo, veremos em detalhes esses e outros benefícios do Kamut para a saúde.

Informações nutricionais

O Kamut apresenta até 40% de proteína a mais do que outras versões de trigo. Além disso, ele é mais rico em minerais como zinco, magnésio e selênio e contem também boas quantidades de polifenóis e ácidos graxos saudáveis.

Devido ao seu alto teor de lipídios, o Kamut é um grão que fornece mais energia do que carboidratos refinados. Ele é rico em nutrientes como magnésio, vitamina B1 (tiamina), vitamina B3 (niacina), selênio, cobre, manganês e molibdênio. Tais nutrientes contribuem para a manutenção da função cognitiva, de processos metabólicos, da pressão arterial e atuam protegendo o organismo do estresse oxidativo.

Rico também em carotenoides e compostos fenólicos antioxidantes, o Kamut ajuda a proteger o corpo contra doenças crônicas e degenerativas.

Por ser um ótimo nutriente e ser bem digerido pelo organismo, o Kamut é adequado para atletas de alto nível e para pessoas comuns que buscam ter uma boa nutrição.

Assim como outros tipos de trigo, o Kamut contém glúten e, desta forma, não é indicado para pessoas com doença celíaca.

– Fonte de fibras e proteínas

O Kamut é uma ótima fonte de fibras, alguns carboidratos e proteínas. A proteína é importante pois desempenha funções essenciais para manter os tecidos fortes e saudáveis, além de participar de diversos outros processos metabólicos importantes, como no transporte de oxigênio e no sistema imunológico.

Já a fibra é importante para ajudar a combater o colesterol alto, a lutar contra a diabetes tipo 2 e, claro, manter uma boa saúde digestiva.

– Selênio e manganês

O Kamut é uma ótima fonte de minerais essenciais como selênio e manganês. Ambos atuam como compostos antioxidantes que trazem benefícios do Kamut para proteger o corpo de danos celulares causados por radicais livres. Eles também ajudam a manter o equilíbrio hormonal, já que o manganês auxilia na síntese de hormônios sexuais, enquanto que o selênio ajuda na produção dos hormônios da tireoide.

O manganês, em especial, é importante para manter a saúde do sistema nervoso, para atuar no metabolismo energético além de ser usado para regular os níveis de glicose no sangue e potencializar a absorção de cálcio. Assim, ele também é essencial para a saúde dos ossos e evita o desenvolvimento de doenças como a osteoporose a artrite reumatoide.

– Magnésio e zinco

A presença de magnésio promove uma melhor saúde dental e óssea. Além disso, o magnésio participa da ativação de algumas enzimas e regula os níveis de vitaminas e minerais como o zinco, o potássio, o cobre e a vitamina D.

A deficiência de magnésio no organismo pode aumentar o risco de desenvolvimento de condições como diabetes, pressão arterial elevada, osteoporose, insuficiência cardíaca e depressão.

Já o conteúdo de zinco encontrado no Kamut beneficia o sistema imunológico e garante a função adequada da tireoide.

– Niacina

Conhecida também como vitamina B3, a niacina é a vitamina do complexo B presente em maior proporção no Kamut. Ela é importante para o metabolismo adequado de macronutrientes como gorduras, proteínas e carboidratos, além disso, o consumo de alimentos ricos em niacina ajuda na prevenção de doenças como a diabetes, a osteoartrite, a aterosclerose, o colesterol alto e outros problemas cardiovasculares.

Tabela nutricional

Uma xícara de Kamut cozido apresenta aproximadamente:

  • 251 calorias;
  • 11 gramas de proteína (17% da ingestão diária recomendada para uma pessoa com 70 kg);
  • 2 gramas de gordura;
  • 52 gramas de carboidratos;
  • 7 gramas de fibras dietéticas (28% da ingestão diária recomendada de fibra para mulheres e 19% da quantidade recomendada para os homens);
  • 0 gramas de açúcar;
  • 10 miligramas de sódio;
  • 4,7 miligramas de niacina ou vitamina B3 (24% da ingestão diária recomendada);
  • 0,2 miligramas de tiamina ou vitamina B1(14% da ingestão diária recomendada);
  • 0,14 miligramas de piridoxina ou vitamina B6 (7% da ingestão diária recomendada);
  • 20 microgramas de folato ou vitamina B9 (5% da ingestão diária recomendada);
  • 0,05 miligramas de riboflavina ou vitamina B2 (3% da ingestão diária recomendada);
  • 2 miligramas de manganês (100% da ingestão diária…

8 remédios caseiros para parar de roncar

8 remédios caseiros para parar de roncar

Veja os remédios caseiros para parar de roncar e evitar os sons desagradáveis que surgem por consequência de uma obstrução das vias respiratórias.

Veja: 3 tratamentos caseiros para parar de roncar

Roncar durante o sono é algo extremamente comum, e igualmente desagradável, que pode afetar a maioria das pessoas.

Ainda que não apresente perigo, o ronco pode levar à privação do sono tanto para a pessoa que ronca, quanto para seu respectivo parceiro.

Conhecer a causa do ronco é fundamental para o tratamento, afinal, pode representar tanto um simples nariz entupido quanto um desvio de septo – ou outras condições.

Pensando nisso, separamos uma lista com alguns remédios caseiros para parar de roncar, e que podem ser bem úteis. Confira!

Veja: 11 formas de melhorar o ronco

Melhores remédios caseiros para parar de roncar

remédios caseiros para parar de roncar

1 – Umidificar o ambiente

Muitas das pessoas que sofrem de problemas respiratórios têm o hábito de colocar ao lado da cama uma bacia com água durante períodos de calor, quando o clima fica mais seco.

Um jeito muito eficiente que pode te auxiliar a parar de roncar é utilizar essa técnica, para evitar que sua garganta fique constipada.

Você também pode optar por deixar um copo de água em alguma cômoda próxima a sua cama, caso precise de algum refresco no meio da noite.

Veja Também: Melhor remédio caseiro para doenças respiratórias: trata sinusite, gripe e garganta inflamada

2 – Reduzir o consumo de álcool

Se você costuma consumir bebidas alcoólicas pouco antes de ir para a cama, melhor saber que isso pode ser a causa dos seus roncos noturnos.

O álcool ajuda a relaxar os músculos da garganta, facilitando a passagem do ar mais rapidamente, gerando o ronco.

Veja Também: 7 remédios caseiros para fortalecer os pulmões e respirar melhor

3 – Vaporização com eucalipto

A vaporização é um dos melhores remédios caseiros para parar de roncar, sem dúvida, porque se o seu problema for a dificuldade de respiração nasal, inspirar o vapor vai trazer efeitos espetaculares.

Para isso, basta ferver um pouco de água quente em uma panela.

Antes de se deitar, acrescente o eucalipto à panela.

Então, acoberte a cabeça com uma toalha e inspire intensamente o vapor para sentir os efeitos durante sua noite de sono.

Veja Também: 7 remédios caseiros para combater problemas respiratórios

4 – Cebola

A cebola também é uma ótima opção para quem quer tratar quadros respiratórios.

É recomendado por especialistas utilizá-la na preparação de chá com açúcar mascavo.

Você precisará dos seguintes ingredientes:

– Uma cebola;

– 1 litro de água;

– Açúcar mascavo a gosto.

Corte a cebola em fatias e, em seguida, adicione-as na água fervente e aguarde 15 minutos.

Depois, é só coar e acrescentar algumas colheres de açúcar mascavo – de acordo com a sua vontade.

Procure consumir o chá uma ou duas horas antes de ir dormir.

Veja Também: Neurocientistas fazem uma alerta importante às mulheres sobre o sono e pedem que elas não ignorem este conselho

5 – Arruda e azeite

Um dos principais remédios caseiros para parar de roncar é através da mistura de azeite com arruda.

Para o preparo, você deverá usar um recipiente com tampa, para potencializar as ações dos ingredientes.

Todas as noites antes de se deitar, aplique o remédio de arruda e azeite no pescoço e no nariz.

Os efeitos aparecem em pouco tempo, podendo auxiliar – e muito – na eliminação do ronco.

Veja Também: Os 20 melhores e piores alimentos para comer antes de dormir

6 – Chá verde

De acordo com algumas pesquisas, o chá verde tem uma função muito benéfica para pessoas que sofrem de problemas noturnos como a apneia do sono.

Você precisará dos seguintes ingredientes:

– Chá verde natural;

– Água fervente.

Coloque o saquinho do chá dentro da água e aguarde de 7 à 8 minuto antes de consumir.

Beba o chá antes de ir dormir para diminuir os roncos e dormir melhor.

Veja: Como programar uma boa noite de sono

7 – Gargarejo com hortelã

O gargarejo com hortelã é um dos mais práticos remédios caseiros para parar de roncar.

Misture uma gota de essência de hortelã a um copo com água e faça gargarejo todas as noites, antes de dormir.

Lembre-se de que, após ter feito o gargarejo, você não deve enxaguar a boca com água ou qualquer outro líquido.

Veja: O que fazer para dormir melhor: 10 dicas úteis para melhorar a qualidade do sono

8 – Leite de soja

Procure abandonar o leite de vaca e consumir apenas o leite de soja.

Afinal, os elementos lácteos contidos no leite de vaca aumentam o muco na garganta, o que também pode ser a causa dos seus roncos durante a noite.

Apesar de ser uma excelente maneira de tratar o ronco, estes remédios caseiros para parar de roncar, devem ser utilizados com o conhecimento do médico e não exclui a necessidade de tratamento clínico, sendo somente uma forma de complementar o tratamento.

Veja Também: Tome um chá de banana e canela uma hora antes de dormir e veja o que acontece!

O post 8 remédios caseiros para parar de roncar apareceu primeiro em Site de Beleza e Moda.

Tudo Sobre Depilação a Laser – Principais Dúvidas Respondidas

Depilação a laser

Manter uma pele lisa e sem pelos é o objetivo de muitas mulheres e homens, mas a depilação pode ser agressiva para a pele e também dolorosa, dependendo do método realizado – sem contar que após alguns dias os pelos já estão de volta, sendo necessária outra intervenção.

Por esse e outros motivos, a depilação a laser tem conquistado adeptos, que buscam o tratamento como uma maneira de se livrar permanentemente dos pelos de qualquer região sem tantas dores e irritações que os métodos tradicionais costumam provocar.

A popularidade da depilação a laser cresceu muito e hoje já é um dos procedimentos mais procurados nos consultórios e clínicas especializados. A depilação a laser envolve feixes de luz altamente concentrados nos folículos pilosos e o pigmento nos folículos absorve a luz, o que destrói o pelo. Cada pulso do laser leva uma fração de segundo e pode tratar muitos pelos ao mesmo tempo.

Pequenas áreas podem ser tratadas em menos de um minuto e regiões maiores, como as costas ou as pernas, podem levar até uma hora. Está interessado? Então continue lendo e saiba tudo sobre depilação a laser.

O que é depilação a laser?

A depilação a laser é uma forma não invasiva de reduzir ou remover pelos indesejados. A terapia a laser usa um equipamento que emite raios laser de alta temperatura como uma forma leve de radiação. Durante o processo, os raios laser aquecem e danificam os folículos pilosos.

Os folículos capilares estão localizados logo abaixo da pele e são responsáveis ​​por produzir novos fios de cabelo. Se os folículos forem destruídos, a produção de cabelos será desativada temporariamente.

A depilação a laser é segura?

O procedimento é considerado seguro quando realizado por profissionais capacitados e em um local com o equipamento adequado.

Quais os tipos de lasers mais utilizados?

Os tipos de laser mais utilizados para este tipo de tratamento são o Laser Rubi, que funciona melhor para peles muito pálidas; YAG Laser, que é um dos lasers mais comuns utilizados e é usado para tratar pessoas de pele mais escura; e IPL, que é o laser mais utilizado na técnica de remoção de pelos e mais eficaz para o tom de pele do tipo pálido a médio.

A radiação está envolvida no procedimento?

Não está. Laser significa “amplificação de luz por emissão estimulada de radiação”, mas não é como um raio-X. O tratamento simplesmente usa luz e calor. 

Quais partes do corpo podem ser tratadas?

Quase todas as áreas do corpo podem ser tratadas, porém as áreas mais procuradas para tratamento são as pernas, virilha (linha do biquíni), braços, costas, peito e rosto.

Para quais partes do corpo a depilação a laser não é recomendada?

Os únicos lugares que estão fora dos limites são aqueles que não podem ser vistos, como dentro das narinas e dentro da órbita dos olhos.

A depilação a laser é recomendado para todos os tipos de pelos?

Os melhores resultados são percebidos em pelos com pigmento. Pelos loiros e grisalhos costumam ser mais difíceis de tratar. Isso acontece porque o laser tem como alvo o pigmento no folículo capilar, então, quando o pelo é claro torna-se mais difícil de ser detectado pelo laser e efetivamente desabilitar o folículo piloso.

Outra questão é a cor da pele: quanto mais escura for, mais difícil será distinguir entre a cor da pele e o pigmento nos folículos.

A depilação a laser é permanente?

A proposta da depilação a laser é que ela reduza permanentemente a quantidade de crescimento de pelos. Algumas áreas do corpo podem ter resultados de remoção permanente do pelo, mas outras áreas podem precisar de manutenção periódica. A boa notícia é que a manutenção já trabalha uma região onde o crescimento do pelo já está reduzido, o que significa que menos sessões são necessárias.

Como devo me preparar para uma sessão de depilação a laser?

O pré-requisito para a primeira sessão de tratamento é estar com a região livre de depilação por aproximadamente três semanas. Outro ponto importante é evitar o sol o máximo possível antes do procedimento, pois a luz ultravioleta estimula os melanócitos, que criam mais melanina na pele. Isso torna mais difícil para o técnico em laser distinguir entre a pele e os folículos, o que também torna o tratamento mais desafiador.

Além disso, para obter melhores resultados, você deve certificar-se de que está aplicando protetor solar ao longo dos tratamentos para evitar qualquer hipersensibilidade à sua pele.

Algum equipamento de segurança será utilizado?

Dependendo do laser ou da fonte de luz usada, o paciente e o profissional precisarão usar uma proteção ocular apropriada. Também pode ser necessário proteger as camadas externas da pele com um gel frio ou um dispositivo especial de resfriamento. Isso ajudará a luz do laser a penetrar na pele.

Quanto tempo dura uma sessão?

O tempo dependerá do tamanho da área que será tratada. Por exemplo, um buço pode levar menos de 30 segundos, o queixo ou axilas podem levar apenas 20 minutos, já uma área maior, como a perna, pode levar em torno de 60 a 90 minutos para ser tratada.

A depilação a laser causa dor?

Durante a realização do procedimento, um desconforto como uma pequena pressão pode ser sentido. Ele costuma durar apenas alguns segundos e geralmente para quando finaliza. Isso pode acontecer porque há nervos ligados aos folículos pilosos. Quando o procedimento estiver concluído, bolsas de gelo, cremes ou loções anti-inflamatórias ou água fria para aliviar qualquer desconforto podem ser aplicados.

Como será a recuperação após uma sessão?

O tratamento costuma ser eficaz e muito seguro. Entretanto, após a sessão de depilação a laser pode aparecer um pouco de inchaço, vermelhidão ou irritação em torno dos folículos pilosos. Isso pode durar alguns dias. A hiperpigmentação, que é o escurecimento da pele, também pode acontecer, mas geralmente desaparece rapidamente.

Quais são os riscos?

O maior risco com os lasers é o dano ocular, por esse motivo o equipamento de segurança é obrigatório. Outros riscos incluem bolhas, cicatrizes e queimaduras que podem descolorir sua pele. Se a pele estiver queimada ou com bolhas, pode significar que o tipo de laser está errado para o seu tipo de pele. Queimaduras ou bolhas podem surgir, mas são muito incomuns.

Quantas sessões são necessárias para que os resultados apareçam?

O processo só funciona durante o ciclo de crescimento do pelo; por esse motivo, ele é feito várias vezes. Algumas pessoas já percebem ótimos resultados após três sessões, mas outras não. Assim como o tempo, o número de sessões necessárias dependerá da área que será tratada.

Embora não seja uma regra, pois as exigências são individuais, as pernas e a virilha precisam de aproximadamente 6 sessões. Outras áreas podem exigir 8 sessões, que são feitas com um intervalo…